quarta-feira, dezembro 21, 2011


O Natal de antigamente: velho e sempre novo

1

quinta-feira, novembro 10, 2011


A Vida

A vida é feita de pequenos momentos,
Momentos esses que são levados pelo vento,
Mas que ficam em nossa memória,
Que contribuem para escrever a nossa história...
Na vida nós temos momentos tristes,
Perdemos amigos e diretrizes,
E também temos bons momentos,
Depois dos erros nós sempre aprendemos,
Porque tudo é uma aprendizagem,
Até os erros tem suas vantagens...
Vantagem de aprender,
E com os nossos erros crescer,
Saber que para todo o caminho há uma chegada,
Onde recebemos a nossa sonhada “medalha”,
Que é o que nos impulsiona a seguir,
A não desistir...
A vida que segue e te leva junto,
Que te ensina a viver neste mundo,
E mostra que nem tudo está perdido,
Que é melhor viver sem medo do perigo,
Porque assim vivemos bem melhor,
Ser feliz e livre, sem pensar que tudo pode ficar pior.
5

sexta-feira, novembro 04, 2011


Zoo

Com os Tucanos no Zoológico do Rio 40º, cidade Maravilha da Beleza e do Caos.
0

quinta-feira, novembro 03, 2011


Quase...

Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um quase. É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi. Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou. Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.

Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cór, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz. A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza. O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.

Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência porém,preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer. Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo. De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance. Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.
Sarah Westphal
5

segunda-feira, outubro 24, 2011


TREINAMENTO ANTES DE TER FILHOS

Para todos aqueles que já tiveram filhos (para lembrar) e para os que pretendem ter (para se preparar bem). O treinamento é grátis e deve ser feito por aqueles que pretendem ter filhos!!!!!!

Exercícios práticos para treinamento de futuros papais e mamães (o grau de dificuldade de cada exercício é equivalente a tratar de uma criança com 01 (um) ano de idade):

VESTINDO A ROUPINHA

Compre um polvo vivo de bom tamanho e vá colocando, sem machucar a criatura, nesta ordem: fraldas, macaquinho, blusinha, calça, sapatinhos, casaquinho e toquinha. Não é permitido amarrar nenhum dos membros.

Tempo de duração da tarefa: UMA MANHÃ..

COMENDO SOPINHA

Faça um buraquinho num melão, pendure o melão de lado no teto com um barbante comprido e balance-o vigorosamente. Agora tente enfiar a colherinha com a sopa no buraquinho. Continue até ter enfiado pelo menos a metade da sopa pelo buraquinho.
Despeje a outra metade no seu colo Não é permitido gritar. Limpe o melão, limpe o chão, limpe as paredes, limpe o teto, limpe os móveis à volta. Vá tomar um banho.

Tempo para a execução da tarefa: UMA TARDE...

PASSEANDO COM A CRIANÇA

Vá para a pracinha mais próxima. Agache-se e pegue uma bituca de cigarro. Atire fora a bituca, dizendo com firmeza: NÃO! Agache-se e pegue um palito de picolé sujo. Atire fora o palito, dizendo com firmeza: NÃO! Agache-se e pegue um papel de bala. Atire fora o papel de bala, dizendo com firmeza: NÃO! Agache-se e pegue uma barata morta, dizendo com firmeza: NÃO! Faça isso com todas as porcarias que encontrar no chão da pracinha.

Tempo para execução: O DIA INTEIRO.

PASSANDO A NOITE COM O BEBÊ PARA ACALMÁ-LO OU FAZÊ-LO DORMIR

Pegue um saco de arroz de 5 kg e passeie pela casa com ele no colo das 20 às 21 horas.
Deite o saco de arroz. Às 22:00 pegue novamente o saco e passeie até às 02:00.
Deite o saco e você. Levante às 02:15 e vá ver a Sessão Corujão porque não consegue mais pegar no sono.
Deite às 03:00. Levante às 03:30, pegue o saco de arroz e passeie com ele até às 04:15.
Deitem-se os dois (cuidado para não usar o saco de travesseiro) . Levante às 06:00 e pratique o exercício de alimentar o melão. Não é permitido chorar perto do saco.

GERAL

Repita tudo o que você disser (frases ou palavras), pelo menos cinco vezes. Repita a palavra NÃO a cada 10 minutos, fazendo o gesto com o dedinho. Gaste uma pequena parcela do seu orçamento (90%) com leite em pó, fraldas, brinquedos, roupinhas. Passe semanas a fio sem transar, sem ir ao cinema, sem beber, sem sair com os amigos e adulando o saco, sorrindo e brincando com ele no colo...

Pronto...agora vc já deve estar pronto para ter filhos!!!!


ORDEM DE NASCIMENTO DOS FILHOS

O 1º filho é de vidro...
O 2º é de borracha...
O 3º é de ferro...

Planejamento

O 1º filho é (em geral) desejado
O 2º é planejado
O 3º é escorregado...

O TRATAMENTO
(PELA ORDEM DE NASCIMENTO DAS CRIANÇAS)



1º- Irmão mais velho têm um álbum de fotografia completo, um relato
minucioso do dia que vieram ao mundo, fios de cabelo e dentes de leite
guardados.
2º - O segundo mal consegue achar fotos do primeiro aniversário.
3º- Os terceiros, não fazem ideia das circunstâncias em que chegaram à
família

O que vestir

1º bebê - Você começa a usar roupas de grávidas assim que o exame dá
positivo.
2º bebê - Você usa as roupas normais o máximo que puder.
3º bebê - As roupas para grávidas são suas roupas normais, pq vc já deixou
de ter um corpinho de sereia e passou a ter um de baleia.

Preparação para o nascimento
1º bebê - Você faz exercícios de respiração religiosamente.
2º bebê - Você não se preocupa com os exercícios de respiração, afinal
lembra que, na última vez, eles não funcionaram.
3º bebê - Você pede para tomar a peridural no 8º mês pq se lembra que dói
demais.

O guarda-roupas
1º bebê - Você lava as roupas que ganha para o bebê, arruma de acordo com as
cores e dobra delicadamente dentro da gaveta.
2º bebê - Você vê se as roupas estão limpas e só descarta aquelas com
manchas escuras.
3º bebê - Meninos podem usar rosa, né? Afinal o seu marido é liberal e tem
certeza que o filho vai ser macho igual ao pai! (será que vai mesmo?)

Preocupações
1º bebê - Ao menor resmungo do bebê, você corre para pegá-lo no colo.
2º bebê - Você pega o bebê no colo quando seus gritos ameaçam acordar o
irmão mais velho..
3º bebê - Você ensina o mais velho a dar corda no móbile do berço ou manda o
marido ir até o quarto das criança.

A chupeta

1º bebê - Se a chupeta cair no chão, você guarda até que possa chegar em
casa e fervê-la..
2º bebê - Se a chupeta cair no chão, você a lava com o suco do bebê.
3º bebê - Se a chupeta cair no chão, você passa na sua camiseta, dá uma
lambida, passa na sua camisa desta vez para dar uma secadinha pra não pegar
sapinho no nenê, e dá novamente ao bebê, pq o que não mata, fortalece
(vitamina B, de Bicho, off course!)

Troca de fraldas
1º bebê - Você troca as fraldas a cada hora, mesmo se elas estiverem limpas.
2º bebê - Você troca as fraldas a cada duas ou três horas, se necessário.
3º bebê - Você tenta trocar a fralda somente quando as outras crianças
começam a reclamar do mau cheiro.

Banho
1º bebê - A água é filtrada e fervida e sua temperatura medida por
termômetro.
2º bebê - A água é da torneira e a temperatura é fresquinha.
3º bebê - É enfiado diretamente embaixo do chuveiro na temperatura que vier,
pq vc, seu marido e seus pais foram criados assim, e ninguém morreu de
frio.

Atividades
1º bebê - Você leva seu filho para as aulas de musica para bebês, teatro,
contação de história, natação, judô, etc...
2º bebê - Você leva seu filho para a escola e olhe lá...
3º bebê - Você leva seu filho para o supermercado, padaria, manicure,e o seu
marido que se vire para levá-lo à escola e ao campo de futebol...

Saídas

1º bebê - A primeira vez que sai sem o seu filho, liga cinco vezes para casa
da sua mãe (sua sogra não pode ficar com a criança pq na sua cabeça, ela
nunca foi mãe), para saber se ele está bem.
2º bebê - Quando você está abrindo a porta para sair, lembra de deixar o
número de telefone pra empregada.
3º bebê - Você manda a empregada ligar só se ver sangue.

Em casa
1º bebê - Você passa boa parte do dia só olhando para o bebê.
2º bebê - Você passa um tempo olhando as crianças só para ter certeza que o
mais velho não está apertando, mordendo, beliscando, batendo ou brincando de
supermam com o bebê, amarrando uma sacola do carrefour no pescoço dele e
jogando ele de cima do beliche.
3º bebê - Você passa todo o tempo se escondendo das crianças.

Engolindo moedas

1º bebê - Quando o primeiro filho engole uma moeda, você corre para o
hospital e pede um raio-x.
2º bebê - Quando o segundo filho engole uma moeda, você fica de olho até ela
sair.
3º bebê - Quando o terceiro filho engole uma moeda, você desconta da mesada
dele.

 
4

terça-feira, outubro 18, 2011


New Style

2

terça-feira, agosto 16, 2011


Reflita!!!

Há alguns anos, nas olimpíadas especiais de Seattle, nove participantes, todos portadores de deficiência, alinharam-se para a largada da corrida dos 100 metros rasos.
Ao sinal, todos partiram, não exatamente em disparada, mas com vontade de dar o melhor de si, terminar a corrida e, se possível, ganhar.
Logo no início um dos garotos tropeçou no asfalto, caiu, e começou a chorar...
Os outros oito ouviram o choro.
Diminuíram o passo e olharam para trás.
Então eles viraram. E voltaram. Todos eles.
Uma das meninas, com síndrome de down, se ajoelhou, deu um beijo no garoto, e disse:
Pronto, agora vai sarar!
E então todos os nove competidores se deram os braços e andaram juntos até a linha de chegada .

O estádio inteiro se levantou, e os aplausos duraram muitos minutos..

Todos os  pequenos atletas eram portadores de deficiências. Físicas ou mentais...
Mas, com certeza, não eram deficientes espirituais...
Isso porque, lá no fundo, todos nós sabemos que, o que realmente importa nesta vida, mais do que ganhar sozinho, é ajudar os outros a vencer, mesmo que isso signifique ter que diminuir os nossos passos!!!
...
 

 
0

quarta-feira, julho 20, 2011


Feliz Dia do Amigo

1

terça-feira, julho 19, 2011


(CADEIA DE ABRAÇOS)

"Se pudéssemos ter consciência do quanto nossa vida é passageira,

talvez pensássemos duas vezes antes de jogar fora as oportunidades que temos de ser e de fazer os outros felizes !!!

Você acabou de receber um abraço!!!

É isto mesmo, não há como se safar!!!

Você caiu no Abraçódromo! Assim, você vai ter que abraçar todo mundo que você conhece!

Abrace seus parentes, amigos, todo mundo!

O abraço é um sinal favorito de afeição.

Ele pode significar tanto, e tantas coisas ao mesmo tempo.

Pode significar um sinal de amor, de amizade, de conforto ou tudo junto!

 
 
 Mantenha o Abraçódromo vivo!
0

segunda-feira, julho 18, 2011


Com Carinho



Deus abençõe a sua vida!
SORRIA mesmo que
tenha que esconder no fundo da alma
a dor que o mundo desconhece,
pois sorrindo, não
dará aos teus inimigosa felicidade
de te ver triste,mas dará aos
teus amigos a felicidade
de te ver sempre
feliz!!
 
 
 
0

segunda-feira, julho 11, 2011


É MENTIRA?

Um velho lenhador adoeceu e sua dedicada esposa foi à floresta cortar lenha, única fonte de subsistência do casal. Inábil no manuseio do machado, ela o deixa cair no rio. Desesperada, apela aos céus:

- Valha-me, Deus!!!

E Deus aparece.

- Por que choras assim, mulher?

- Oh, meu Deus!!! Meu machado caiu no rio, não sei nadar, sem ele não conseguirei cortar lenha e eu e meu marido morreremos de fome.

Deus mergulha no rio e de lá traz um machado de ouro maciço.

- É este o teu machado, mulher?

- Não, meu senhor. Não tenho dinheiro para ter um machado de ouro.

Deus mergulha novamente e dessa vez traz um machado de prata.

- É este teu machado, mulher?

- Não, meu senhor. Sou pobre e não posso ter um machado de prata.

Deus mergulha pela terceira vez e traz o machado dela.

- É este teu machado, mulher?

- Sim, meu senhor, é esse. Muito obrigada.

Deus então, feliz pela honestidade da mulher, a presenteia com os três machados.
A vida do casal muda por conta do dinheiro conseguido com a venda dos dois machados valiosos.
Depois de alguns anos, o casal vai visitar aquela floresta, para recordar os velhos tempos. O lenhador escorrega e cai no rio. A mulher, desesperada, novamente apela aos céus:

- Valha-me, Deus!!!!!!!!!

E Deus aparece.

- Por que choras, mulher?

- Meu marido caiu no rio e não sabe nadar.

Deus mergulha no rio e surge com o Reinaldo Gianecchini

- É este teu marido, mulher?

- Sim, sim. é esse meu senhor!!!

Deus se enfurece:

- Mulher desonesta e mentirosa! Como ousa tentar enganar-me?

- Não é isso, meu Deus. É que pensei: se eu disser que não, ele vai mergulhar de novo e trazer-me o Brad Pitt. Vou dizer que não e aí ele trará meu verdadeiro marido. Como recompensa pela minha honestidade, dar-me-á os três homens e como não posso praticar trigamia, achei melhor aceitar logo o primeiro que me trouxestes.

Convencido pela justificativa da mulher, Deus a deixa ficar com o Reinaldo Gianecchini.

Provérbio Islâmico: "Diga a verdade, mesmo que esteja contra ti."

2

quinta-feira, julho 07, 2011


James Blunt - California Gurls (Cover)






California Gurls James Blunt
I know a place
Where the grass is really greener
Warm, wet and wild
There must be something in the water
Sippin'...
Laying underneath the palm trees
The boys break their necks
Tryna creep a little sneak peek at us

You could travel the world
But nothing comes close to the golden coast
Once you party with us
You'll be falling in love, oh oh

California gurls, they're unforgettable
Daisy Dukes, bikinis on top
Sun-kissed skin so hot
They'll melt your popsicle

California gurls, they're undeniable
Fine, fresh, fierce, we got it on lock
West coast represent
Now put your hands up, oh oh

On the beach
They don't mind standing on their stilettos
We freak in my Jeep
Snoop Doggy Dogg is on the stereo

You could travel the world
But nothing comes close to the golden coast
Once you party with us
You'll be falling in love

California gurls, they're unforgettable
Daisy Dukes, bikinis on top
Sun-kissed skin so hot
They'll melt your popsicle, oh oh

California gurls, they're undeniable
Fine, fresh, fierce, we got it on lock
West coast represent
Now put your hands up, oh oh

California
California gurls
California
California gurls
California
California gurls

(California) California gurls, they're unforgettable
(California) Daisy Dukes, bikinis on top
(California) Sun-kissed skin so hot
They'll melt your popsicle, oh oh 
 
2

segunda-feira, julho 04, 2011


♥ Amar Nunca é D+ ♥


0

sexta-feira, julho 01, 2011




Dia Nacional do Ócio.

 Sextaaa-Feiraaa

 UHHUUUUU
0

quinta-feira, junho 30, 2011


(((Sdd)))

Há momentos na vida, em que sentimos tanto a falta de alguém, que o que mais queremos é tirar esta pessoa de nossos sonhos e abraçá-la!!! A vida é curta, mas as emoções que uma pessoa pode deixar, duram uma Eternidade!!!






Vivo sempre com esse sentimento que não tem tradução, apenas sinto.
Saudades de quem está longe dos olhos e perto do coração!
FAMÍLIA É TUDO... 
 
By Nany

0

quarta-feira, junho 29, 2011


Refletindo...









0

sexta-feira, junho 17, 2011


Relato de uma sofredora

Vale (e muito!) a parada pra ler. Divirta-se!! 


Foi assim que decidi, por livre e espontânea pressão de amigas, me render à depilação na virilha. Falaram que eu ia me sentir dez quilos mais leve. Mas acho que pentelho não pesa tanto assim. Disseram que meu namorado ia amar, que eu nunca mais ia querer outra coisa. Eu imaginava que ia doer, porque elas ao menos me avisaram que isso aconteceria. Mas não esperava que por trás disso, e bota por trás nisso, havia toda uma indústria pornô-ginecológica-estética.
- Oi, queria marcar depilação com a Penélope.
- Vai depilar o quê?
- Virilha.
- Normal ou cavada?

Parei aí. Eu lá sabia o que seria uma virilha cavada. Mas já que era pra fazer, quis fazer direito.
- Cavada mesmo.
- Amanhã, às... Deixa eu ver...13h?
- Ok. Marcado.


Chegou o dia em que perderia dez quilos.
Almocei coisas leves, porque sabia lá o que me esperava, coloquei roupas bonitas, assim, pra ficar chique. Escolhi uma calcinha apresentável. E lá fui. Assim que cheguei, Penélope estava esperando. Moça alta, mulata, bonitona. Oba, vou ficar que nem ela, legal. Pediu que eu a seguisse até o local onde o ritual seria realizado. Saímos da sala de espera e logo entrei num longo corredor. De um lado a parede e do outro, várias cortinas brancas. Por trás delas ouvia gemidos, gritos, conversas. Uma mistura de Calígula com O Albergue. Já senti um frio na barriga ali mesmo, sem desabotoar nem um botão. Eis que chegamos ao nosso cantinho: uma maca, cercada de cortinas.
- Querida, pode deitar.
Tirei a calça e, timidamente, fiquei lá estirada de calcinha na maca. Mas a Penélope mal olhou pra mim. Virou de costas e ficou de frente pra uma mesinha. Ali estavam os aparelhos de tortura. Vi coisas estranhas. Uma panela, uma máquina de cortar cabelo, uma pinça. Meu Deus, era O Albergue mesmo. De repente ela vem com um barbante na mão. Fingi que era natural e sabia o que ela faria com aquilo, mas fiquei surpresa quando ela passou a cordinha pelas laterais da calcinha e a amarrou bem forte.
- Quer bem cavada?
- é... é, isso.

Penélope então deixou a calcinha tampando apenas uma fina faixa da Abigail, nome carinhoso de meu órgão, esqueci de apresentar antes.
- Os pêlos estão altos demais. Vou cortar um pouco senão vai doer mais ainda.
- Ah, sim, claro.
Claro nada, não entendia porra nenhuma do que ela fazia. Mas confiei. De repente, ela volta da mesinha de tortura com uma espátula melada de um líquido viscoso e quente (via pela fumaça).
- Pode abrir as pernas.
- Assim?
- Não, querida. Que nem borboleta, sabe? Dobra os joelhos e depois joga cada perna pra um lado.
- Arreganhada, né?

Ela riu. Que situação. E então, Pê passou a primeira camada de cera quente em minha virilha Virgem. Gostoso, quentinho, agradável. Até a hora de puxar.
                                                    

Foi rápido e fatal. Achei que toda a pele de meu corpo tivesse saído, que apenas minha ossada havia sobrado na maca. Não tive coragem de olhar.
Achei que havia sangue jorrando até o teto. Até procurei minha bolsa com os olhos, já cogitando a possibilidade de ligar para o Samu. Tudo isso buscando me concentrar em minha expressão, para fingir que era tudo supernatural.
Penélope perguntou se estava tudo bem quando me notou roxa. Eu havia esquecido de respirar. Tinha medo de que doesse mais.
- Tudo ótimo. E você?
Ela riu de novo como quem pensa "que garota estranha". Mas deve ter aprendido a ser simpática para manter clientes.
O processo medieval continuou. A cada puxada eu tinha vontade de espancar Penélope. Lembrava de minhas amigas recomendando a depilação e imaginava que era tudo uma grande sacanagem, só pra me fazer sofrer. Todas recomendam a todos porque se cansam de sofrer sozinha.
- Quer que tire dos lábios?
- Não, eu quero só virilha, bigode não.
- Não, querida, os lábios dela aqui ó.

Não, não, pára tudo. Depilar os tais grandes lábios ? Putz, que idéia. Mas topei. Quem está na maca tem que se fuder mesmo.
- Ah, arranca aí. Faz isso valer a pena, por favor.
Não bastasse minha condição, a depiladora do lado invade o cafofinho de Penélope e dá uma conferida na Abigail.
- Olha, tá ficando linda essa depilação.

- Menina, mas tá cheio de encravado aqui. Olha de perto. Se tivesse sobrado algum pentelhinho, ele teria balançado com a respiração das duas.
Estavam bem perto dali. Cerrei os olhos e pedi que fosse um pesadelo. "Me leva daqui, Deus, me teletransporta". Só voltei à terra quando entre uns blábláblás ouvi a palavra pinça.
- Vou dar uma pinçada aqui porque ficaram um pelinhos, tá?
- Pode pinçar, tá tudo dormente mesmo, tô sentindo nada.

Estava enganada. Senti cada picadinha daquela pinça filha da mãe arrancar cabelinhos resistentes da pele já dolorida. E quis matá-la. Mas mal sabia que o motivo para isso ainda estava por vir.
- Vamos ficar de lado agora?
- Hein?
- Deitar de lado pra fazer a parte cavada.

Pior não podia ficar. Obedeci à Penélope. Deitei de ladinho e fiquei esperando novas ordens.
- Segura sua bunda aqui?
- Hein?
- Essa banda aqui de cima, puxa ela pra afastar da outra banda.

Tive vontade de chorar. Eu não podia ver o que Pê via. Mas ela estava de cara para ele, o olho que nada vê. Quantos haviam visto, à luz do dia, aquela cena? Nem minha ginecologista. Quis chorar, gritar, peidar na cara dela, como se pudesse envenená-la. Fiquei pensando nela acordando à noite com um pesadelo. O marido perguntaria:
- Tudo bem, Pê?
- Sim... sonhei de novo com o c! de uma cliente.


Mas de repente fui novamente trazida para a realidade. Senti o aconchego falso da cera quente besuntando meu Twin Peaks. Não sabia se ficava com mais medo da puxada ou com vergonha da situação. Sei que ela deve ver mil c!s por dia. Aliás, isso até alivia minha situação. Por que ela lembraria justamente do meu entre tantos? E aí me veio o pensamento: peraí, mas tem cabelo lá?
Fui impedida de desfiar o questionamento. Pê puxou a cera. Achei que a bunda tivesse ido toda embora. Num puxão só, Pê arrancou qualquer coisa que tivesse ali. Com certeza não havia nem uma preguinha pra contar a história mais. Mordia o travesseiro e grunhia ao mesmo tempo. Sons guturais, xingamentos, preces, tudo junto.
- Vira agora do outro lado.
Porra... por que não arrancou tudo de uma vez? Virei e segurei novamente a bandinha. E então, piora. A broaca da salinha do lado novamente abre a cortina.
- Penélope, empresta um chumaço de algodão?

Apenas uma lágrima solitária escorreu de meus olhos. Era dor demais, vergonha demais. Aquilo não fazia sentido. Estava me depilando pra quem?
Ninguém ia ver o tobinha tão de perto daquele jeito. Só mesmo Penélope. E agora a vizinha inconveniente.
- Terminamos. Pode virar que vou passar maquininha.
- Máquina de quê?!
- Pra deixar ela com o pêlo baixinho, que nem campo de futebol.
- Dói?
- Dói nada.
- Tá, passa essa merda...
- Baixa a calcinha, por favor.

Foram dois segundos de choque extremo. Baixe a calcinha, como alguém fala isso sem antes pegar no peitinho? Mas o choque foi substituído por uma total redenção. Ela viu tudo, da perereca ao cu. O que seria baixar a calcinha? E essa parte não doeu mesmo, foi até bem agradável.
- Prontinha. Posso passar um talco?
- Pode, vai lá, deixa a bicha grisalha.
- Tá linda! Pode namorar muito agora.

Namorar...namorar... eu estava com sede de vingança. Admito que o resultado é bonito, lisinho, sedoso. Mas doía e incomodava demais. Queria matar minhas amigas. Queria virar feminista, morrer peluda, protestar contra isso. Queria fazer passeatas, criar uma lei antidepilação cavada!!!!!!


AUTOR DESCONHECIDO
4

terça-feira, junho 14, 2011


Lembranças

  A

é a maior prova De Que o passado
valeu a pena. São lembranças que 
o tempo não apaga!

 


São Lembranças... Bons Momentos!



 By Nany



0

10 Mandamentos Seculares











0

quinta-feira, junho 09, 2011


Nos Dias Difíceis...

Nas dificuldades do dia-a-dia, esqueça os contratempos e siga em frente,
recordando que Deus esculpiu em cada um de nós a faculdade de resolver
os nossos próprios problemas.
A vida é aquilo que você deseja diariamente.
A renovação autêntica tem de começar em nós mesmos.
Você prepara o caminho de quaisquer ocorrências pensando em torno delas.
A palavra é porta de entrada para as suas realizações.
Carregar ressentimentos será bloquear os seus próprios recursos.
Encolerizar-se é dinamitar o seu próprio trabalho.
Não sofra hoje pela neurose que talvez lhe venha comprovar a compreensão e a resistência, em futuro remoto.
Os problemas existirão sempre ao redor de nós e apesar de nós.
Olvide ofensas e desgostos, tribulações e sombras e continue trabalhando
quanto puder no bem de todos, recordando que o tópico mais importante de
seu caminho será sempre servir.


PAZ, AMOR & SABEDORIA!


Bjux Nany
0

segunda-feira, junho 06, 2011














0

sexta-feira, junho 03, 2011


Sempre Amei as Fábulas de 'La Fontaine' + essa 'repaginada' é Melhor...


A Cigarra e a Formiga



Era uma vez, uma formiguinha e uma cigarra muito amigas.
Durante todo o outono, a formiguinha trabalhou sem parar, armazenando comida para o período de inverno.
Não aproveitou nada do sol, da brisa suave do fim da tarde e nem o bate-papo com os amigos ao final do trabalho tomando uma cervejinha gelada.
Seu nome era 'Trabalho', e seu sobrenome era 'Sempre'.

Enquanto isso, a cigarra só queria saber de cantar nas rodas de amigos e nos bares da cidade; não desperdiçou nem um minuto sequer. Cantou durante todo o outono, dançou, aproveitou o sol, curtiu prá valer sem se preocupar com o inverno que estava por vir.

Então, passados alguns dias, começou a esfriar.
Era o inverno que estava começando.

A formiguinha, exausta de tanto trabalhar, entrou para a sua singela e aconchegante toca, repleta de comida.
Mas alguém chamava por seu nome, do lado de fora da toca.
Quando abriu a porta para ver quem era, ficou surpresa com o que viu.
Sua amiga cigarra estava dentro de uma Ferrari amarela com um aconchegante casaco de vison.

E a cigarra disse para a formiguinha:
- Olá, amiga, vou passar o inverno em Paris.
- Será que você poderia cuidar da minha toca?
- E a formiguinha respondeu:
- Claro, sem problemas!
- Mas o que lhe aconteceu?
- Como você conseguiu dinheiro para ir à Paris e comprar esta Ferrari?

E a cigarra respondeu:
Imagine você que eu estava cantando em um bar na semana passada e um produtor gostou da minha voz.
Fechei um contrato de seis meses para fazer show em Paris...
À propósito, a amiga deseja alguma coisa de lá?

Desejo sim, respondeu a formiguinha.
Se você encontrar o La Fontaine (Autor da Fábula Original) por lá, manda ele ir para a 'Puta Que O Pariu!!!'

Moral da História:
Aproveite sua vida, saiba dosar trabalho e lazer, pois trabalho em demasia só traz benefício em fábulas do La Fontaine e ao seu patrão.

Trabalhe, mas curta a sua vida. Ela é única!!!

1

segunda-feira, maio 30, 2011


( ( ( BruNNinha ) ) ) 30/05



Bolinho
5

sexta-feira, maio 27, 2011


Confie...



As coisas acontecem na hora certa.
Exatamente quando devem acontecer!
Momentos felizes, louve a Deus.
Momentos difíceis, busque a Deus.
Momentos silenciosos, adore a Deus.
Momentos dolorosos, confie em Deus.
Cada momento, agradeça a Deus.
Hoje, Senhor, agradeço pela noite maravilhosa,
pelo cobertor que me aqueceu, pelo meu alimento,
por mais um dia de trabalho.
E principalmente por mais um dia de vida.
Abençoa, Senhor, meus amigos e inimigos, porque
eles também precisam de Ti.
Abençoa, Senhor, o meu amigo que está lendo esta
mensagem agora, realize os seus sonhos, lhe dê a
vitória que lhe é necessária,abençoe com proteção
e sabedoria seus filhos e familiares, com gratidão e
amor eu oro, no santo nome de Jesus.
Amém!
 


0